Arquivo da categoria: inspiração

recondicionamento emocional módulo I

Não esqueça o otimismo.

Um pingo – às vezes, um balde – de deseperança surge sem aviso. Quem aguenta? Você quer ser um bom filho, bom amigo, bom profissional, bom irmão, bom namorado….  (Nada de se jogar do penhasco, hein!) Ainda bem que lei da sobrevivência sempre dá um jeito de prevalecer.

Então você confronta o cenário: reconhece as constantes, toma nota das variáveis e pensa em jogar na reciclagem ou no lixo tudo aquilo o que for dispensável. Nesse exercício todo – muito pior que uma aula de recondicionamento físico, diga-se de passagem – o mais desafiador é se dar conta que tentar mudar o que está em volta poderia ser a solução, mas por trás disso, existe a verdade pertubadora: você deve mudar você.

Convenhamos, os agentes externos são bem difíceis de controlar. Sua mãe vai deixar de lado a mania diária de interromper seu silêncio introspectivo para falar de qualquer assunto que não lhe diz respeito? Seu chefe vai desistir de contratar uma pessoa nitidamente menos preparada que você pelo dobro do seu salário porque a justiça sempre prevalece? E sua melhor amiga, vai deixar o namorado canalha que ela tem? Não, não e não. Fichinha. E quando o problema é de marca maior e você não pode fazer nada a respeito de verdade? Não vou nem começar a falar.

Então adapte-se. Não significa que você vai jogar tudo pra Deus, mas é fato que estudar e alterar a maneira com que você se relaciona com os problemas é a chave do negócio. Pode ser libertador.

E se ficar muito difícil de reavaliar, não perca a pose e desmorone. Se faltar critério, claro, vá para análise. Ou, antes de acrescentar mais um item à folha de pagamento, corra para quem já falou sobre isso. Hoje indico duas obras-primas que conheci recentemente que podem trazer à tona muito do que a gente mal sabe ou esquece sobre o otimismo.

E viva a arte em todas as suas formas. Não tenho dúvidas que pode ser o melhor remédio.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em aperte o play, cinema, desejos, hollywood, inspiração, papos picados

love lovisa

Faz séculos que eu queria falar da ilustradora Lovisa Burffit por aqui. Como o tema da ilustração de moda já surgiu algumas vezes anteriormente, não poderia deixá-la de fora.

Pois bem. O que mais me chama atenção no trabalho dela é que além de ser dona de um traço muito especial, ela sabe bem como vincular esse know how ao mercado de moda. Com o olhar apurado sobre os desejos fashionistas e uma sensibilidade ímpar para o inconsciente coletivo desse mercado, seus desenhos já deram algumas voltas ao mundo: já estamparam camisetas de várias redes de fast fashion, pôsters da semana de moda de Paris, as vitrines e o décor da H&M e até compuseram uma linha de utensílios para a casa.

Ela mora lado a lado com a Garancé no meu coração. Com a seleção abaixo, acho que dá pra entender o porquê. Saca só:

Este slideshow necessita de JavaScript.

http://www.agentandartists.com/artists/lovisa-burfitt/

http://www.lovisaburfitt.com/

Deixe um comentário

Arquivado em design, ilustração, inspiração, moda

Deixe um comentário

Arquivado em desejos, embarque imediato, inspiração, papos picados, ponte aérea, vamos falar de coisa boa?

depois da trovoada…

A sugestão é Bill Withers com otimista Lovely Day. Apesar (ou não) da letra romântica, não existe música mais alto astral.

Deixe um comentário

Arquivado em aperte o play, inspiração, vamos falar de coisa boa?

é, a vida é assim…

Melhor que um livro de auto-ajuda, é essa canção do Frank, That’s Life. Dedico à todos os meus – e o seus – momentos de depressão. Talvez seja só uma chuva rápida de verão. Talvez não passe tão logo. Independente do que for, que seja ao som de Sinatra. Sempre uma freqüência de classe.

That’s life, that’s what all the people say.

You’re riding high in April,

Shot down in May.

But I know I’m gonna change that tune,

When I’m back on top, back on top in June.


I said that’s life, and as funny as it may seem

Some people get their kicks,

Stompin’ on a dream.

But I don’t let it, let it get me down,

‘Cause this fine ol’ world it keeps spinning around.


I’ve been a puppet, a pauper, a pirate, 

A poet, a pawn and a king.

I’ve been up and down and over and out

And I know one thing:

Each time I find myself, flat on my face,

I pick myself up and get back in the race.


That’s life

I tell ya, I can’t deny it,

I thought of quitting baby,

But my heart just ain’t gonna buy it.

And if I didn’t think it was worth one single try,

I’d jump right on a big bird and then I’d fly


I’ve been a puppet, a pauper, a pirate,

A poet, a pawn and a king.

I’ve been up and down and over and out

And I know one thing:

Each time I find myself laying flat on my face,

I just pick myself up and get back in the race


That’s life

That’s life and I can’t deny it

Many times I thought of cutting out 

But my heart won’t buy it.

But if there’s nothing shakin’ come this here July

I’m gonna roll myself up in a big ball and die.

Deixe um comentário

Arquivado em aperte o play, inspiração, papos picados

o que é design?

“Objectified” é parada obrigatória. Lançado em 2009, é um excelente documentário que esbarra na complexa definição do que é design. Eu, pessoalmente, adoro essa indagação. Tem que ver!

E o melhor: dá para baixar no iTunes!

Deixe um comentário

Arquivado em aperte o play, cinema, design, guia, inspiração

da série isso não acontece todo dia

Deixe um comentário

Arquivado em inspiração, moda, são paulo